O Projeto

Nosso planeta está em crise, principalmente no que se refere a disponibilidade de água potável. Em virtude disso, as Nações Unidas proclamaram o ano de 2003 como o Ano Internacional da Água Doce - um ano que dedicou várias atividades de sensibilização para este problema global.

O problema da água vem sendo discutido desde 1993 no LECT, quanto foi elaborado o projeto Ecologia das Águas.

Este projeto procura estudar profundamente a questão dos corpos d´água por estudantes das nossas escolas, através de entrevistas com moradores, análises físico-químicas e estudo do meio. Para isso, os alunos investigam corpos d´água próximos a região onde moram e verificam quais são as verdadeiras condições que ele se apresenta e propõem soluções para contornar o problema.

Objetivos

· Fornecer subsídios para que os jovens das nossas escolas possam se conscientizar da importância da preservação e do gerenciamento dos nossos corpos hídricos, todas as suas potencialidades. Consideramos esta conscientização como um passo para o exercício pleno de sua cidadania, já que algumas decisões cruciais para o melhor aproveitamento de nosso potencial hídrico são claramente decisões políticas, que terão que ser tomadas pelos governantes das próximas gerações, e referenciadas pelo apoio popular.

· Aprender Ciências vivenciando o método científico. Os alunos poderão se deparar com problemas reais e deverão elaborar e testar hipóteses, buscando dados experimentais para refutá-las ou comprová-las, além de desenvolver as habilidades de argumentação e exposição de suas teorias, bem como a pesquisa bibliográfica para apoiá-las.

· Aprender através da socialização dos conhecimentos. O projeto está baseado na realização de atividades por diferentes grupos de alunos, cada qual procedendo a análise de um corpo hídrico diferente. Isoladamente, os dados coletados por cada grupo não indicam senão o estado momentâneo do local de estudo. Todavia, analisados de maneira integrada, podem revelar tendências e correlações de enorme importância para a compreensão dos ambientes de água doce. Utilizando a tecnologia de redes de computadores (Internet), estes diferentes grupos de aprendizes se tornam colaboradores na construção do conhecimento de cada um.
· Levar o aluno a identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e condições de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica. Além disso, o aluno pode compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, sabendo elaborar juízo sobre riscos e benefícios das práticas científico-tecnológicas.


Bibliografia

Branco, S. M. Guia de Avaliação da Qualidade das Águas in Observando o Tietê, S.O.S. Mata Atlântica, São Paulo, sem data.

Branco, S. M. A aventura de uma gota d'água. São Paulo. Moderna, s.d.

Branco, S. M. Limnologia sanitaria, estudio de la polucion de aguas continentales, Secretaria General de la O. E. A., Programa Regional de Desarrollo Científico y Tecnológico, Washington, 1984.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 20 de 18.06.1986.Diário Oficial da União, Brasília, 30 de Junho de 1986. p. 11.356.

Cavinato, V. M. Saneamento básico. 2a ed. São Paulo. Moderna, 1992. (Desafios)

CETESB. Água, lixo e meio ambiente. São Paulo. 1987. (Educação Ambiental).

________. O que significa a água para você? Cubatão. 1985. N.91. (Folhetos de Apoio a Educação Ambiental)

Ciência Hoje, vol. 19 nº 110 Águas no Brasil - má-utilização e falta de planejamento, SBPC, julho 1995.

Corson, W. H. Ed. Manual Global de Ecologia, Editora Augustus, São Paulo, 1993.

Costa, A. Introdução à ecologia das águas doces, Recife, UFRP, Imprensa Universitária, 1991.

Esteves, F. de A. Fundamentos de limnologia, 2ª ed. Rio de Janeiro, Interciência, FINEP, 1998.

Harper, D. Eutrophication of freshwaters - principles, problems and restoration, London, Chapman & Hall, 1992.

Infante, A. G. El plancton de las aguas continentales, Secretaria General de la O. E. A., Programa Regional de Desarrollo Científico y Tecnológico, Washington, 1988.

Magossi, L. R. & Bonacella, P. H. Poluição das águas. 3a. Ed. São Paulo. Moderna, 1991. (Desafios)

Pyatt, F. B.; Storey, D. M. Toxicity testing using IDaphnia magna Straus in student assessments of water pollution, Journal of Biological Education, 33(3), 164-70.

Schäfer, A. Fundamentos de ecologia e biogeografia das águas continentais, Porto Alegre, Ed. da Universidade, UFRGS, 1984.
Super Interessante, ano 4 nº 10 Mergulho na água, Editora Abril, outubro 1990.

Vasconcelos, J. L. & Gewandsznajder, F. Programa de saúde. 18a. Ed. São Paulo, Ática, 1991.

Vários, Missão Terra - o resgate do planeta - Agenda 21 feita por crianças e jovens, São Paulo, Melhoramentos, 1994.

Viezer, M. L. e Ovalles, O. (org.). Manual Latino-Americano de Educação Ambiental, São Paulo, Ed. Gaia, 1994.

Wetzel, R. G. and Likens, G. E. Limnological analysis, New York, Springer-Verlag, 1991.

Witkowski, N. (org.). Ciência e Tecnologia Hoje, São Paulo, Ed. Ensaio, 1995.