Atividades

A falta de saneamento básico e de serviços de coleta e o destino de lixo em áreas urbanas e fatores ecológicos, tem contribuído para a ocorrência de uma das mais importantes viroses que afeta o homem: a DENGUE. Só no começo do ano de 1998 foram registrados 116,9 mil casos oficiais.

A elaboração de um projeto que trata deste assunto fez-se necessária não só como um alerta, mas também como uma forma de envolvimento dos estudantes com o problema, capacitando-os a entender o ciclo de vida do mosquito, onde são os prováveis "criadouros".

A participação de todas as pessoas é fator decisivo para o combate a proliferação do Aedes aegypti o vetor da Dengue e também da febre amarela. A troca de experiências e vivências podem contribuir para a mudança de comportamento.

O Laboratório de Ensino de Ciências e Tecnologia da Escola do Futuro atua no combate ao mosquito através da difusão do conhecimento e na orientação de ações práticas de combate à Dengue. Através do ensino de ciências via telemática, professores e os alunos de diversas regiões do Brasil podem obter informações sobre a doença e participar realizando investigações na região onde moram.


Materiais

Para participar do Projeto Finlay coletando larvas é necessário o uso de alguns materiais:

a)
Luvas descartáveis para proteção
b)
Bisnaga de água para lavagem da rede
c)
Vidro com tampa para condicionar as larvas coletadas, acrescentando 70% de álcool e 30% de água
d)
Frasco de envio. As larvas devem ser transferidas do vidro para este frasco a fim de serem etiquetadas enviadas à Escola do Futuro
e)
Etiqueta que identifica o coletor, o local, a data, etc.
f)
Rede coletora: facilita a coleta das larvas
g)
Álcool: que deve ser colocado no vidro junto às larvas (70%)
h)
Água destilada ou outra: deve ser colocado no vidro junto às larvas (30%)
i)
Água Sanitária: deve ser colocada no local onde as larvas foram encontradas, para evitar que outras se desenvolvam
j)
Conta gotas: Ajuda na transferências das larvas do vidro para o frasco de envio

 

Como coletar
1.
Ao encontrar os criadouros (1) com larvas (2,3) proceder a coleta utilizando a rede coletora (4), esta deve ser virada do lado avesso sobre o frasco de coleta (5), em seguida, a rede de ser lavada com com água até as larvas passarem para o frasco.
2.
No caso de recipientes pequenos , despejar o conteúdo diretamente no frasco de coleta.
3.
No frasco de coleta com as larvas coletadas , completar com água até a marca 30% , ou retirar o excesso de água, depois preencha o restante com álcool 98% até a marca 100% . No fim deste procedimento as larvas estarão fixadas em álcool 70%.
4.
Com auxílio de um conta gotas as larvas serão separadas e colocadas nos frascos de envio (frascos plásticos pequenos e bem fechados) e preenchidas com álcool 70% . Os frascos devem ser devidamente etiquetados . Número: (número seqüencial das amostras dado pelo coletor a primeira 001, e assim sucessivamente 002, 003,...) Local: (onde foi encontrado, bairro, cidade, estado, país) Coletor: (nome do aluno) Data: (data da coleta da amostra).
5.
Após a coleta das larvas os alunos devem proceder a destruição do berçário, fazendo furos na parte mais baixa do recipiente, ou colocando água sanitária dentro da água acumulada, pode ser uma gota por litro de água, ou mais . Preferencialmente não deixar água acumulada, pois na próxima chuva a água vai diluir a água sanitária
6.
Enviar o material coletado, por correio comum, para a Escola do Futuro (forma de envio).


Interação

Teste seus conhecimentos. Escolha dentre os botões o correto, ou seja, o que possui o nome exato do estágio de vida doAedes aegypti

   
   
   

.